Crea-SE destaca clima democrático nas discussões do 10º CNP que encerrou com a aprovação de 35 propostas

O Congresso Nacional de Profissionais reuniu mais de 500 delegados em dois dias de atividades.

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe (Crea-SE) , por meio de seus profissionais e de delegados eleitos no 8º CEP-SE, teve ampla e importante participação nas discussões das 45  Propostas Nacionais Sistematizadas,  que foram avaliadas e votadas no Congresso Nacional de Profissionais (CNP). O evento foi realizado nos dias 20 e 21 deste mês de setembro em Palmas (TO).

                                                  VEJA MAIS FOTOS NO FACEBOOK DO CREA-SE

Engenheiro civil, Daniel Brito, coordenador do 8º CEP-SE

Das 45 propostas, 30 foram aprovadas pelos Grupos de Trabalho e 4 foram rejeitadas. “As propostas aprovadas em seis ou mais GTs foram automaticamente aprovadas no 10º CNP; e as propostas rejeitadas em seis ou mais GTs foram definitivamente rejeitadas. Com isso, essas 34 proposituras não entraram na pauta da Sessão Plenária Final”, explica o engenheiro civil, Daniel Brito, coordenador do 8º CEP-SE.

11 propostas entraram na pauta da Sessão Plenária, conduzida pelo presidente do Confea, Joel Krüger.

As outras 11 propostas restantes foram enviadas para votação na Sessão Plenária final do CNP, sendo que cinco (5) foram aprovadas e seis (6) rejeitadas. O CNP que reuniu mais de 500 delegados em dois dias de atividades foi marcado pelo clima democrático e por discussões acaloradas em torno das propostas que tiveram como eixos temáticos: atuação profissional, atuação das empresas, infraestrutura, inovações tecnológicas e recursos naturais.

Pres. do Crea-SE, Arício Resende: O CNP reflete o sentimento de todos os profissionais do Sistema Confea/Crea

Para o presidente do Crea-SE, engenheiro agrônomo, Arício Resende Silva,  o CNP reflete o sentimento de todos os profissionais do Sistema Confea/Crea por ser um espaço de discussão de  propostas oriundas de todos os estados brasileiros. “É muito gratificante participar e contribuir para as mudanças e, acima de tudo, para o fortalecimento do Sistema Confea/Crea num evento onde predominou o clima democrático em torno de ideias, opiniões e sugestões que abordaram temas diferentes, mas todos com foco na melhoria do Sistema Confea e na retomada do desenvolvimento do país pelas mãos da Engenharia, da Agronomia e da Geociência”, afirma Arício Resende.

Delegados do Crea-SE no 10º CNP

A Engenharia, a Agronomia e a Geociência em Sergipe foram representadas no CNP por oito delegados eleitos no Congresso Estadual de Profissionais (CEP-SE). Os delegados foram distribuídos entre os oito Grupos de Trabalho do CNP, responsáveis por avaliar e votar as propostas sistematizadas, uma participação considerada gratificante para a equipe de delegados do Crea-SE. “

Engenheiro Civil, Rodolfo Santos da Conceição

“Dentre os eventos organizados pelo sistema Confea/Crea considero o Congresso Nacional de Profissionais – CNP – o mais importante, uma vez que os profissionais (conselheiros ou não)  propuseram mudanças para melhoria do Sistema. A condução dos trabalhos, desde a fase estadual, se deu de forma bastante democrática, sendo possível realizar propostas, discuti-las e avaliá-las com os profissionais do Sistema”. É o que avalia, o engenheiro Civil, Rodolfo Santos da Conceição que atuou no GT-2 (colete azul) como relator.

Engenheira civil, Iara Peixoto

“O CNP é um espaço importante, no qual profissionais de todos o país puderam apresentar propostas para a melhoria do Sistema Confea/Crea. Sugestões que passam por questões referentes a inovações tecnológicas, recursos naturais, atuação profissional, infraestrutura e atuação das empresas de engenharia.  Estou muito feliz com esta oportunidade de contribuir  e participar de todo este processo de debates e opiniões. Foi muito enriquecedor”, destaca a engenheira civil, Iara Peixoto que atuou no GT-5 (colete rosa) como segunda relatora.

Tecnólogo em Segurança do Trabalho, José Gomes.

 “Entendo que foi bastante proveitosa à realização do CNP, onde foram discutidas e aprovadas propostas de grande valia para o avanço da Engenharia, Agronomia e Geociências e Tecnologia”, disse José Gomes ao ressaltar que no processo de sistematização das propostas algumas ficaram fora das discussões, a exemplo da valorização dos Tecnólogos, mas que no geral as questões abordadas são de fundamental importância para todo o Sistema Confea. “Quero aqui parabenizar a condução democrática dos trabalhos realizados nos Grupos e na Sessão Plenária. Estou muito gratificado por ter participado deste importante evento que foi o 10º CNP”, finaliza Gomes que participou do GT-4 (colete cinza).

Engenheira ambiental, Vitoria Caroline Oliveira Souza.

“O evento 10º CNP foi de grande importância por trazer o debate de propostas muito importantes para a interação do sistema Confea/Crea com a sociedade , por seguinte, desenvolvimento nacional. Também trouxe maior participação efetiva dos delegados trazendo um amadurecimento de levantar bandeiras realmente importantes para todas as engenharias e até do próprio regimento do evento. Agora nós, todos os delegados, esperamos os protocolos de acompanhamento das propostas aprovadas junto ao Sistema Confea/Crea”. É o que enfatiza a engenheira ambiental, Vitoria Caroline Oliveira Souza, que atuou no GT-6 (colete verde) na função de Secretária da mesa diretiva.

Engenheiro eletricista e de Segurança do Trabalho, Flávio Góes

“Sinto-me honrado em representar o CREA-SE como Delegado com mandato no 10º CNP – Congresso Nacional de Profissionais, para contribuir com o melhor funcionamento e interação do Sistema Confea/Crea,  no objetivo de atender melhor a sociedade e os profissionais”. É que afirma o engenheiro eletricista e de Segurança do Trabalho, Flávio Góes que atuou no GT-2 (colete azul). Para Flávio entre as 45 propostas apresentadas no CNP, três ele considera de fundamental importância.  A de numero 01 – Que o Sistema Confea/Crea e Mútua incentive o desenvolvimento e implantação de novas tecnologias voltadas a fontes alternativas de energia, com a alteração e avanço na política energética, visando permitir incentivos fiscais e financeiros para o desenvolvimento de novas tecnologias (Pesquisa). A de numero 22 – Que o Confea trabalhe junto ao Congresso Nacional e ao Ministério da Educação a normatização e implementação de procedimento obrigatório para que os graduados nas áreas da Engenharia, Agronomia e Geociências sejam submetidos a uma prova de proficiência do Conselho, como pré-requisito para que possam se registrar no Crea.

E a terceira é de numero 30 – onde solicita a Alteração da Lei 5.194/66 com vistas à modificação da penalidade por infração ao código de ética, com aplicação de penas maiores, incluindo multas e suspensões, além da criação do tribunal de ética. Flávio afirma ainda ser contra as propostas com ênfase no ensino EAD. “Vejo que a Engenharia, Agronomia e a Geociência perdem muito com esse tipo de modalidade”, avalia.

Engenheira agrônoma, Solange Silva

“A importância do 10° CNP para a Engenharia vai além das discussões e debates para o Desenvolvimento Nacional. É um momento de integração e consolidação de meses de trabalhos e dedicação da Engenharia e da Agronomia para o país, através de propostas e moções discutidas e aprovadas pelos 500 delegados que representam todo o Brasil”, afirma a engenheira agrônoma, Solange Maria Souza que participou como secretária da mesa diretiva do GT-4 (colete cinza).

Engenheiro eletricista, Alexsandro Meireles

“O CNP representa um importante avanço na abertura do diálogo entre o Sistema e os profissionais. É um espaço consultivo e de debates, onde todos podem colocar suas opiniões e discutir propostas para a melhoria do Sistema. É um evento que a cada ano se supera .  Foram dois dias de muitas atividades e aprendizado”, para o desenvolvimento sustentável do Sistema Confea/ Crea  e fomentar ações parlamentares para atualizações de normais e procedimentos  dentro do semario  Engenharia  Agronomia e a geociências  define o engenheiro eletricista e segurança do trabalho, Alexsandro Meireles que participou das discussões do GT-2 (colete azul).

Conselheiro Federal, João Bosco

O conselheiro federal, por Sergipe, o engenheiro agrônomo, João Bosco de Andrade, conduziu a Sessão Plenária do CNP ao lado do presidente do Confea, Joel Krüger. Para o conselheiro, o 10º Congresso Nacional de Profissionais foi realizado com sucesso, diante da participação expressiva de mais de 500 delegados. “Os trabalhos foram marcados por grandes contribuições e, principalmente pelo respeito aos profissionais. Procurou-se enfocar  a importância das profissões técnicas no desenvolvimento nacional com condição essencial para retirada dessa crise; através de um desenvolvimento sustentável e sustentado em base sólida, enfocando a boa formação dos profissionais, a efetiva vigilância a ética e a qualidade técnica, pois todas as profissões que compõem o Sistema são imprescindíveis para o desenvolvimento nacional e sustentabilidade ética, é imprescindível”, disse Bosco.

Pesidente do Confea, Joel Krüger

O presidente do Confea agradeceu a participação de todos e destacou o clima de tranquilidade que marcou o 10ºCNP. “Tudo transcorreu na mais perfeita ordem. Procuramos abranger democraticamente as propostas, de alto conteúdo técnico, em prol do desenvolvimento nacional”, afirmou Joel Krüger ao final do Congresso.

                                                                                    Propostas

Texto: Iris Valéria de Azevedo: Ascom-Crea-SE

Print Friendly

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *