Semana do Engenheiro Agrônomo destaca desafios e oportunidades para a profissão no século XXI

Palestras e homenagens marcam programação em comemoração ao Dia do Engenheiro Agrônomo

VEJA MAIS FOTOS DO EVENTO NO FACEBOOCK DO CREA-SE

Com o apoio do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe (Crea-SE) a Semana do Engenheiro Agrônomo, evento realizado pela AEASE,  foi marcada  nessa sexta-feira (11), por atividades, homenagens e palestras. Ao lado de lideranças do Sistema Confea/Crea;  representantes de entidades de classe; políticos; professores; pesquisadores; acadêmicos e profissionais da área, o presidente do Crea-SE, Arício Resende Silva prestigiou a programação ao destacar a relevância dos conteúdos e temas que trouxeram para discussão e reflexão a atuação do engenheiro agrônomo no processo de transformação da agricultura e no desenvolvimento econômico do país.

O reconhecimento profissional e acadêmico também foi ponto de destaque na programação

“Tenho muito orgulho de ser engenheiro agrônomo, uma profissão que muito tem contribuído para o fortalecimento do cenário agrícola em Sergipe e em todo o país, assegurando o crescimento da produção agrícola com sustentabilidade e rastreabilidade associadas à adequação ambiental”. É o que avalia, o presidente Arício Resende ao parabenizar a AEASE pela promoção de debates e troca de experiência profissional em torno de temas atuais que envolvem a engenharia agronômica.

Arício Resende: Para o futuro, a tendência é que a profissão de engenheiro agrônomo assuma ainda mais importância no desenvolvimento sustentável do país

Ao fazer uma breve explanação do cenário agrícola atual, o presidente, Arício Resende destaca que o Brasil vem experimentando uma profunda transformação em sua agricultura. “De grande importador, passamos para grande exportador de produtos agrícolas como o complexo soja (grãos, farelo e óleo), milho, algodão, etanol, celulose e carnes (bovina, suína e de aves). Sem dúvida esses avanços foram alcançados graças a um leque de ações e fatores, especialmente a força do trabalho e do empreendedorismo do produtor rural, que tem como seu aliado, de primeira hora, o engenheiro agrônomo”, afirma.

                                                                             Homenagens

O reconhecimento profissional e acadêmico também foi ponto de destaque na programação.  Este ano, o Prêmio Engenheiro Agrônomo do Ano foi dado a Paulo Carvalho Viana pelos relevantes serviços prestados e pelo conjunto de ações desenvolvidas ao longo da vida profissional com reflexo no desenvolvimento da agricultura e da categoria em Sergipe. Na categoria estudante, o homenageado da noite com o Título Acadêmico Agronomia do Ano foi Maxwell Paca Matos,  aluno do curso de engenharia agronômica da Universidade Federal de Sergipe (UFS).

                                                                                  Desafios e oportunidades

Um dos momentos mais esperados da noite foi à palestra magna sobre ‘Desafios e Oportunidades para o Engenheiro Agrônomo no Século XXI’. Antes de iniciar a palestra, o presidente da Confederação dos Engenheiros Agrônomos do Brasil (Confaeab), Kleber Souza dos Santos fez um registro e um agradecimento especial. “Esta semana é de comemoração que marca o Dia do Engenheiro Agrônomo, datado de 12 de outubro. É um período de festa e também de agradecimento. Hoje a Federação dos Engenheiros Agrônomos está em processo de ampla recuperação, resultado de um trabalho árduo e do compromisso de gestões anteriores. Aqui registro e faço um agradecimento especial a AEASE que sempre esteve ao lado da Confaeab nos momentos mais críticos”, ressalta ele.

Kleber Souza : O Engenheiro Agrônomo é um profissional com formação eclética e humanística, capaz de gerar e aplicar conhecimentos científicos e técnicas agronômicas, adequadas a uma agricultura racional e integrada.

O presidente da Confederação também destacou o trabalho realizado pelo diretor financeiro da instituição. “A nossa gratidão como engenheiro agrônomo, na pessoa do presidente do Crea-SE, Arício Resende que faz parte da diretoria da Confaeab na função de diretor financeiro, o qual conseguiu organizar e equilibrar as contas da Confederação, sanando pendências, o que tornou nossa gestão  mais proativa”, disse.

O presidente da Confaeab iniciou a palestra com dados que evidenciam um futuro de oportunidades e novas perspectivas de mercado para o engenheiro agrônomo. Kleber Souza destacou o papel do profissional no mundo contemporâneo e o reflexo de seu conhecimento no desenvolvimento econômico e no aumento da produtividade dos principais produtos da agricultura.

“Com o passar dos anos, a agronomia se tornou uma área de múltiplos conhecimentos, influenciada pela biotecnologia, automação e informática de ponta. A imagem de que o engenheiro agrônomo é uma profissão exclusivamente do meio rural precisa ser desconstruída, pois há muito não representa a realidade”. É o que ressalta Kleber Souza ao frisar.

O palestrante foi enfático ao colocar que hoje, o engenheiro agrônomo precisa ter noções de robótica, automação, biotecnologia, agricultura digital, internet das coisas, entre tantas outras inovações. “Estamos vivendo constantes transformações, as quais incluem um novo perfil do consumidor e neste contexto, a segurança alimentar não se limita apenas produção de alimentos, mas também qualidade. É preciso que o engenheiro agrônomo saiba o que pensa e exige o consumidor em relação aos alimentos”, alerta.

Para o palestrante, outro exemplo de desafio para esse novo profissional está na produção agropecuária diante de um cenário de escassez de recursos hídricos, mais a necessidade de abastecer a população majoritariamente urbana. “O engenheiro agrônomo é o profissional com formação necessária para aumentar a produtividade com qualidade e uso eficiente dos recursos hídricos”, diz Kleber.

O presidente da Confaeab também reforçou seu posicionamento contrário ao ensino à distância no curso de agronomia. “Defendemos a presença dos formandos nas aulas, pois estamos falando de um curso que exige atividades prática e experiência em campo”, disse ele que encerrou a palestra ressaltando que a profissão de engenheiro agrônomo é eclética, holística e essencial para a humanidade.

Fernando Andrade: O papel dos engenheiros agrônomos tem sido decisivo para que o Brasil se consolide como uma grande potência mundial em produção de alimento

 Em sua apresentação, o presidente da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sergipe (AEASE), Fernando Andrade falou sobre a regulamentação da profissão de engenheiro agrônomo; os desafios, avanços e demandas. Também destacou a importância e o papel dos profissionais no desenvolvimento econômico e sustentável de Sergipe. Fernando Andrade encerrou a programação agradecendo a presença de todos

 

Print Friendly

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *