Justiça acata ação do Crea-SE e determina suspensão do concurso de Itabaiana para os cargos de Engenharia para cumprimento do piso salarial dos profissionais

A Justiça Federal de Sergipe acatou ação impetrada pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe (Crea-SE) e determinou a suspensão do concurso público de Itabaiana para os cargos de engenheiros agrônomo, civil, de segurança do trabalho, de petróleo e gás, químico e geólogo até que o município  adeque a remuneração de tais cargos ao piso salarial profissional legalmente correspondente. A decisão do juiz federal da 6ª Vara, Tiago José Brasileiro Franco ocorre após o Conselho contestar o irrisório valor do salário oferecido no certame, que infringe as leis federais 5.194/66 e 4.950-A/66.

O Edital do concurso em questão prevê para os cargos uma jornada de trabalho de 40 (quarenta) horas semanais e remuneração no valor de R$ 2.224,61 (dois mil, duzentos e vinte e quatro reais e sessenta e um centavos). Contudo, a legislação federal acerca do piso salarial nacional da categoria prevê salário-base mínimo de 6 (seis) salários mínimos para os vencimentos iniciais da carreira.

O Crea-SE sustenta que o concurso oferece uma remuneração  “irrisória e desproporcional não só com os requisitos da investidura, mas também com a natureza, complexidade e, sobretudo, grau de responsabilidade do cargo”. Para o presidente do Crea-SE, engenheiro agrônomo, Arício Resende Silva, a ação representa o alinhamento do Conselho em defesa da Lei e da justa remuneração dos profissionais da Engenharia.

 O presidente enfatiza o enorme desafio de enfrentar as distorções salariais da categoria, mas reforça que o Crea-SE está atento às práticas ilegais dos municípios, principalmente neste tipo de desvalorização de uma profissão extremamente técnica e ligada ao desenvolvimento do País. “Desde o ano de 2015, o Crea-SE promove ações para conscientizar os administradores públicos sobre a questão salarial dos profissionais e, ainda, sobre a importância do preenchimento dos cargos técnicos de Engenharia por profissionais habilitados. Além de encaminhar ofícios aos administradores municipais também são realizadas visitas as prefeituras, um trabalho de campo que trouxe resultados positivos”, afirma, Arício Resende.

Print Friendly

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *