FPI devolve 555 animais à natureza na primeira semana de fiscalização

Nesta sexta-feira, 11, a equipe Fauna da Fiscalização Preventiva Integrada em Sergipe – coordenada pelos Ministérios Públicos Federal e Estadual com apoio do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco – fez uma nova soltura de animais. Foram devolvidos ao bioma caatinga 229 aves, um tatu e um teiú. A escolha dos locais de soltura é feita pelos técnicos pensando na adaptação e reinserção desses animais ao meio ambiente.

Na quinta-feira, 10 de maio, a equipe Fauna devolveu à natureza 324 aves, totalizando 555 animais soltos na primeira semana de trabalho da FPI.

Entre as espécies de aves soltas nesta sexta, estão: bigodinho, vira bosta, pássaro preto, canário da terra, tipio, azulão, tico-tico, cardeal ou galo de campina, rolinha fogo-pagou, rolinha caldo de feijão, arribaçã, sebinho, gralha-cancã, papa capim, garibalde, joão crioulo, sabiá laranjeira, pega, sanhaço, cinzento, tuim, golinho, sofre, periquito rei e fitinha ou tico-tico rei.

Acompanhe os números

Nos três primeiros dias de operação, foram resgatadas 706 aves, 57 jabutis e um tatu galinha nos municípios de Japoatã, Propriá, Aquidabã, São Francisco e Muribeca. Após o resgate, os bichos passam por cuidados de veterinários de animais silvestres e biólogos. Os animais considerados aptos são devolvidos à natureza. Outros precisam passar por readaptação antes de serem libertados.

Entrega voluntária

Durante a Fiscalização, a equipe Fauna recebe animais silvestres no local de triagem provisório, que fica localizado no Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente (CAIC), em Propriá.
Quem fizer a entrega voluntária fica livre de multas e processo na Justiça. Para fazer entrega basta ir até o local e assinar um termo. É preciso levar documentos oficiais de identificação para que a doação seja efetivada.

Equipe Fauna
 
Integram a equipe Fauna da FPI em Sergipe profissionais do Ibama, Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar, ONG Centro da Terra, Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Aracaju, Universidade Federal de Sergipe e Comitê Hidrográfico da Bacia do Rio São Francisco.

Print Friendly

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *