FPI: Equipe Aquática apreende 225 covos utilizados para captura dos animais

Na 3ª Etapa da Fiscalização Preventiva Integrada da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (FPI) a equipe Aquática apreendeu e destruiu um total de 225 covos (armadilha utilizada por pescadores para captura de camarões) fora do padrão permitido para pesca. De acordo com o coordenador da equipe, Romeu Boto, além dos camarões, os covos possuíam peixes ainda pequenos. “Foram devolvidos ao ‘Velho Chico’ mais de 1.100 animais – com vida – que estavam presos”, reforça. Durante a ação ocorrida em ilha do São Francisco, próximo a cidade de Propriá, nesta segunda-feira, 25, a FPI flagrou também ocupação irregular em Área de Preservação Permanente (APP). “Retiramos mais de 700 metros de cercas instaladas até a beira do rio”, pontua Romeu.

engenheira civil , Ruskaja Cunha Sandrin

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe (Crea-SE ) está presente na ação, sendo representado na equipe Aquática pela engenheira  civil , Ruskaja Cunha Sandrin . Conforme informações do coordenador da equipe , o covo deve possuir 20 centímetros entre os nós das redes. “O que encontramos tinham muito menos”, destaca. Segundo Boto, a devolução desses camarões e peixes, ainda em fase de crescimento, é importante para que eles se desenvolvam normalmente e repovoem o rio.

Coordenada pelos Ministérios Públicos Federal e Estadual com apoio do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), o Programa Continuado tem o intuito de proteger o meio ambiente natural e cultural da Bacia do Rio São Francisco e melhorar a qualidade de vida do povo da região, por meio de ações planejadas e integradas de conservação e revitalização.

A Equipe Aquática é formada pelos seguintes órgãos: ICMBio, CB, Semarh, Capitania dos Portos, SPU, Ibama, Emdagro, UFS/Max, Crea/SE, CBHSF, PM/SE e Adema, GETAM.

Instituições Parceiras e Equipes

Vinte e nove instituições estão articuladas na Fiscalização Preventiva Integrada em Sergipe, são elas: Ministério Público Federal e Estadual; Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco; Fundação Nacional de Saúde; Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis; Polícia Rodoviária Federal; Secretaria do Patrimônio da União; Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade; Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional; Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária; Fundação Cultural Palmares; Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga; Marinha do Brasil; Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Museu de Arqueologia de Xingó da UFS; Universidade Federal de Sergipe; Departamento Nacional de Produção Mineral; Coordenação De Vigilância Sanitária; Administração Estadual do Meio Ambiente; Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe; Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos; Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe; Polícia Militar; Corpo de Bombeiros Militar de Sergipe; Secretaria Municipal de Meio Ambiente; Secretaria de Estado da Cultura; Polícia Civil; ONG Centro da Terra; ONG Fundação Mamíferos Aquáticos.

Integram a FPI 13 equipes que vão percorrer os dez municípios sergipanos: Espeleologia; Mineração; Aquicultura; Aquática; Fauna; Patrimônio Cultural

Comunidades Tradicionais; Equipe Saneamento I; Equipe Saneamento II

Equipe Gestão Ambiental I; Equipe Gestão Ambiental II; Equipe Agrotóxicos; Equipe Flora; Abate.

Assessoria de Comunicação FPI/SE

Print Friendly

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *