CEP-SE: Profissionais e estudantes do IFS-Aracaju debatem sobre os rumos da formação profissional da Engenharia e da Agronomia

O ciclo de palestras preparatórias para o 8º Congresso Estadual de Profissionais da Engenharia e da Agronomia em Sergipe (CEP-SE) começou nesta quinta-feira (16). E o primeiro encontro ocorreu no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS- campus Aracaju). Sob os olhares atentos de profissionais e acadêmicos, o coordenador da Comissão do CEP, o engenheiro civil, Daniel Brito fez uma breve explanação sobre a importância das reuniões precursoras para o alcance dos objetivos do Congresso que ocorrerá nos dias 25 e 26 de julho na sede da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sergipe (AEASE), na capital sergipana.

Veja álbum de fotos do evento

A cada triênio, o Crea-SE realiza o Congresso Estadual de Profissionais (CEP), seguido da etapa nacional. Este ano, o CEP traz como tema principal “Estratégias da Engenharia e da Agronomia para o Desenvolvimento Nacional” e como eixos temáticos Inovações Tecnológicas; Recursos Naturais; Infraestrutura; Atuação Profissional e Atuação das Empresas de Engenharia.

“Estes eventos oferecem aos profissionais oportunidades de espaço para avaliação, debate e definição de estratégias, planos e programas de atuação em suas áreas, por meio de propostas de mudanças nos normativos que regulamentam o exercício da profissão. A participação dos profissionais e estudantes é muito importante, especialmente nessa etapa das palestras preparatórias por ser uma forma de avaliar, debater e apontar melhorias para a regulamentação das profissões do Sistema, refletindo na valorização de seu trabalho”, esclarece o coordenador.

Marina Franca Lelis

Atuação Profissional: Os rumos da formação profissional da Engenharia e da Agronomia brasileiras foi o tema da palestra ministrada pela assessora técnica do Crea-SE, a engenheira agrônoma, Marina Franca Lelis. Em sua fala destacou a atribuição de títulos, atividades, competências e campos de atuação dos profissionais registrados no Sistema Confea/Crea. Também falou sobre as principais funções do Conselho. “O Crea tem o papel de garantir que as atividades técnicas da engenharia sejam desempenhadas por profissionais habilitados, e esse trabalho é feito através da fiscalização indireta por meio dos registros de instituições; profissionais; empresas e Arts e da fiscalização direta com os fiscais em campo”, enfatizou.

Em relação ao mercado de trabalho, Marina Franca ressaltou as tendências e demandas atuais. “O paradigma da quarta revolução industrial apresenta grandes desafios para o Conselho e para os profissionais.  A alta tecnologia;  as respostas em tempo real e os aplicativos prometem modificar profundamente as relações de trabalh. As projeções otimistas veem que os grandes cargos e salários altos irão ser ampliados e que vários cargos e postos de trabalho serão extintos. Dessa forma cabe a nós forçar o fiel da balança para a valorização da interface humana frente a tecnologia”, afirma.

José Gomes, Alexsandro Meireles e Solange Gomes

O coordenador, Daniel Brito agradeceu a participação de todos ao destacar a presença dos membros da Comissão, Solange Maria de Souza e Alexsandro Meireles. Também prestigiaram o evento, o presidente do Sindicato dos Tecnólogos, José Gomes de Andrade e o conselheiro, Rodolfo Conceição. O coordenador também ressaltou que o próximo encontro preparatório acontece na segunda-feira (20) no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS- campus Estância) a partir das 19horas.

Print Friendly

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *