Arício Resende defende união de profissionais diante de ataques sofridos pelo Sistema Confea/Crea no Congresso Nacional

Presidente do Crea-SE, Arício Resende Silva

O presidente do Crea-SE, engenheiro agrônomo Arício Resende Silva abriu a programação do Congresso Estadual de Profissionais (CEP-SE), realizado nesta quinta-feira (25),   com uma reflexão sobre as propostas em tramitação no Congresso Nacional que representam uma tentativa de desmonte do Sistema Confea/Crea, consolidado há 86 anos e que zela pela segurança da sociedade. O presidente reforçou que o momento exige união para fortalecer o Sistema, alvo constante de ataques infundados.

 “Por falta de conhecimento em relação à importância do Sistema Confea/Crea para o desenvolvimento do nosso País, há uma mobilização de alguns grupos de parlamentares no Congresso com o claro propósito de engessar e silenciar nosso Sistema”. É o que avalia o presidente Arício Resende ao se referir a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 108, que desobriga os profissionais da inscrição em seus respectivos conselhos.

Arício Resende reforça que a proposta é totalmente contrária à intenção de promover o desenvolvimento econômico. Alerta ainda que a PEC não se coloca apenas contra a Engenharia e a Agronomia. “A PEC fere o interesse da Ciência, da Tecnologia e traz na sua essência um ataque a mecanismos que protegem o cidadão”.

Na ocasião, o presidente do Crea-SE fez um resgate histórico e traçou um paralelo entre a criação do Sistema Confea/Crea, em 1933, e o atual momento: “As lideranças devem mostrar novamente ao governo a necessidade de regulamentação dos serviços da Engenharia, mostrar o benefício que o sistema profissional traz à sociedade, mostrar que nós devemos continuar como profissões regulamentadas”, defende.

 

Print Friendly

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *