Câmara de Vereadores de Aracaju realiza Sessão Especial em homenagem ao Crea-SE

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe (Crea-SE) foi homenageado na sexta-feira (31) com uma Sessão Especial realizada na Câmara de Vereadores de Aracaju pelos seus 42 anos de criação, completados em maio deste ano, e por sua contribuição ao desenvolvimento econômico e social na cidade e no campo.” Sem engenharia não há projeto de desenvolvimento”, avalia o vereador Vinícius Porto que presidiu a sessão e foi também o autor do requerimento da homenagem, aprovado por unanimidade pelo Legislativo.

Com a missão de atuar com eficácia na orientação, fiscalização, valorização e aperfeiçoamento do exercício profissional, promovendo a melhoria da segurança e da qualidade de vida da sociedade, o Crea-SE possui hoje mais de 19 mil profissionais e 3.253  empresas registrados em seu sistema. “Essa homenagem é um reconhecimento do Legislativo ao trabalho e aos relevantes serviços prestados pelo Crea-SE. O Conselho possui grande responsabilidade social ao possibilitar que profissionais estejam habilitados para elaborar projetos e executar  obras de impacto na vida das pessoas”, disse o parlamentar.

Diretor-presidente do SergipeTec, Manoel Hora Neto

O diretor-presidente do Sergipe Parque Tenológico (SergipeTec), Manoel Hora Neto destacou a importância do Crea e o seu papel na sociedade. “O investimento em tecnologia, a qualificação dos profissionais e a melhoria da educação têm sido grandes bandeiras do Conselho. Parabéns pelos serviços inestimáveis que esta entidade tem prestado ao desenvolvimento do Estado e da sociedade”, disse Manoel Hora ao cobrar dos governos uma maior atenção para a área tecnológica. “A Engenharia é um fator determinante para o desenvolvimento econômico do País”, complementa.

O vereador, Eber Batalha também usou a palavra para destacar a credibilidade do Crea-SE e desejar longa vida ao Conselho e a todos os profissionais.O vereador Américo de Deus também ressaltou o trabalho desenvolvido pelo Conselho e suas ações em defesa dos profissionais e da sociedade. Na ocasião, o engenheiro civil, Emerson Meireles parabenizou o presidente Arício e também a todos os presidentes que passaram pelo Crea-SE e que ajudaram a construir a história da instituição, bem como servidores e colaboradores.

A Engenharia é sinônimo de desenvolvimento, disse Wilman dos Santos,  presidente da Associação Brasileira de Engenheiros Civis em Sergipe (ABENC –SE) ao parabenizar o Crea-SE pelos seus 42 anos de criação e a gestão do presidente Arício Resende pelo trabalho em defesa dos profissionais. A participação de servidores e colaboradores na construção da história do Crea-SE  foi destacada pela engenheira civil, Elaine Santana, vice-presidente do Sindicato dos Engenheiros de Sergipe (SENGE-SE). “O trabalho diário da equipe de servidores é fundamental nessa engrenagem. Também destaco e parabenizo a atual gestão pela valorização dada as entidades de classe. O Crea-SE está de parabéns e que continue atuando de forma firme em defesa dos profissionais e da sociedade”, disse ela.

O presidente da Associação dos Engenheiros de Segurança do Trabalho, o engenheiro mecânico, Romeu Santos, ressaltou o papel do Crea-SE ao longo desses 42 anos de existência e aproveitou o momento especial para parabenizar a todos os profissionais de Engenharia em suas mais diversas modalidades pela contribuição que oferecem a  sociedade no desenvolvimento técnico, científico social e econômico.  “Aqui fica meu agradecimento especial ao presidente Arício Resende pela gestão e ao vereador, Vinícius Porto pela iniciativa dessa Sessão Especial em homenagem ao nosso Conselho”, disse.

O engenheiro eletricista, André Luis Silva de Araújo do conselho consultivo da Associação Brasileira dos Engenheiros Eletricistas de Sergipe (ABEE-SE) também fez uso da palavra na Sessão Especial para parabenizar o Conselho, os profissionais e servidores. “São mais de quatro décadas de história, um processo marcado por muito trabalho e desempenho. Hoje o Crea chega aos 42 anos com a marca da credibilidade. Todos estão de parabéns”, afirma.

O suplente de conselheiro federal, Laerte Marques em sua fala fez um breve relato da trajetória do Crea-SE.” Tudo começou em 1961 com a instalação de uma inspetoria sob a jurisdição do Crea-BA. Somente em maio de 1976 nos tornamos independentes. Neste ano surgiu o nosso próprio Conselho, uma grande vitória”, lembra.

                                                 CONFIRA AS FOTOS DO EVENTO NO FACEBOOK

  Momento de reflexão

O presidente do Crea-SE, engenheiro agrônomo, Arício Resende abriu seu discurso agradecendo a todos os presentes e, em especial ao vereador Vinícius Porto pela homenagem e reconhecimento. O presidente fez um breve relato da história do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe e na oportunidade reforçou

Presidente do Crea-SE, Arício Resende

seu compromisso com a categoria profissional e com toda a sociedade sergipana.

Este é um momento festivo, mas também de reflexão. É o que afirma o presidente do Crea-SE ao se referir a crise econômica do Brasil que afeta diretamente aos profissionais da engenharia, agronomia e geociências. Na avaliação do engenheiro agrônomo, Arício Resende, o cenário atual exige uma maior participação dos profissionais em torno das grandes questões do desenvolvimento nacional. “Precisamos no unir e nos somar para fortalecer o nosso Sistema. Precisamos ter voz na elaboração de políticas públicas, especialmente as de Interesses relacionados à melhoria da qualidade de vida da população por meio da Engenharia”, sugere ele.

 Arício Resende também destacou que tem pautado sua gestão no diálogo aberto com foco no patrimônio maior da sociedade: a vida das pessoas. “O Crea-SE tem como foco desenvolver o mercado, aumentar o potencial de crescimento da economia e aproximar os profissionais da área tecnológica da sociedade sergipana. Os serviços de profissionais e empresas são fontes de geração de renda e tributos e, conseqüentemente, de crescimento para o País”. É o que afirma o presidente do Crea-SE ao frisar que no papel de  órgão fiscalizador, o Conselho tem o dever de  combater o exercício ilegal das profissões e exigir que as obras e serviços que necessitam de conhecimentos específicos, capacidade técnica e formação adequada sejam exercidos por profissionais legalmente habilitados.

A Sessão especial foi prestigiada por conselheiros, vereadores, servidores, assessores; representantes da Capitania dos Portos; entidades de classe e de órgãos públicos.

Print Friendly

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *